e de saudarmos à passagem os homens e o tempo